quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Filhos do Abandono


Durante décadas Torey Hayden tem sido uma luz na escuridão para muitas crianças com distúrbios comportamentais graves. Além de terapeuta exímia e criativa, ela é uma mulher extraordinária pela generosidade e persistência com que se liga aos seus “casos”. Especializada em “mutismo electivo”, trabalha agora num hospital civil, na unidade de pedopsiquiatria. Neste livro, ela ocupa-se de Cassandra, uma menina que apenas com seis anos foi raptada pelo pai, só regressando a casa da mãe quase dois anos depois. O seu comportamento alterna entre períodos de silêncio e um comportamento errático e agressivo, levando a supor ter sido vitima de abusos graves. Drake, de quatro anos, é pelo contrario um rapazinho encantador, cativante e carismático. Parece adaptar-se bem a novos ambientes, mas incompreensivelmente não fala de todo, a não ser com a própria mãe. O seu autoritário avô, um brilhante homem de negócios, exige que Torey se ocupe dele e o “conserte” rapidamente… E, embora nunca tenha trabalhado com adultos, Torey é ainda chamada a ocupar-se de uma idosa que, após o AVC, se refugiou num mutismo depressivo. Cada história desenrola-se um pouco como um caso policial – Hayden vai descobrindo o que se esconde por detrás do mistério daqueles silêncios a partir dos mais ínfimos e subtis indícios.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A Força dos Afectos


 
Após um período de afastamento do ensino, Torey Hayden vê-se novamente responsável por uma turma de crianças com necessidades especiais, que constituíra mais um desafio à perseverança, força e determinação que a caracterizam. Dela fazem parte Geraldine, Shemona e Shamie, três crianças oriundas de Irlanda do Norte que foram testemunhas e vítimas de actos de violência extrema. Dirkie, um rapaz de onze anos que sofre de esquizofrenia, Leslie, uma menina autista incapaz de se relacionar com o mundo que a rodeia, e Mariana, uma rapariga de oito anos que esconde por detrás de uma sexualidade precoce uma enorme necessidade de afecto. No entanto, não serão só estas crianças a encontrar um espaço de aceitação e carinho na sala de Torey. Ladbrooke Taylor, mãe de Leslie, também vai beneficiar do seu enorme espírito de altruísmo, afastando-se passo a passo, juntamente com os mais novos, do lugar de sofrimento donde não parecia possivel resgatá-la. Torey Hayden leva-nos numa viagem profundamente recompensadora ao interior das emoções, comportamentos e relações humanos e consegue provar-nos mais uma vez, com a dose certa de amor e compreensão, não existem causas perdidas.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Criança Psicossomática

“A raiva sufocada e o amor não verbalizado são as principais causas dos sintomas psicossomáticos.”
Definição: O termo psicossomático deriva dos termos Psique (= mente) e Soma (= corpo) e expressa a unidade corpo/mente. Os sintomas dessas doenças são a expressão Física de uma dor emocional. As doenças psicossomáticas, inclusive na infância, são caracterizadas por uma desorganização somática, isto é, uma desordem física causada por factores psicológicos.
Doenças/ Sintomas:                 
- Asma;
- Problemas hormonais;
- Problemas de pele;
- Dores de cabeça/ Enxaquecas;
- Distúrbios de visão;
- Distúrbios digestivos…

Consequências: A instalação das doenças psicossomáticas nos bebés e nas crianças coincide com as fases de desenvolvimento biológico e psicológico, prejudicando dessa forma o seu estado psíquico e físico.

domingo, 12 de junho de 2011

1000 Segredos e Conselhos Para a Vida do Seu Bebé


Desde a constatação da gravidez até ao terceiro aniversário da criança, este guia faculta mais de 1000 conselhos. Complementarmente, fornece-lhe ainda um calendário de vacinas e um capítulo reservado aos seus direitos junto das empresas empregadoras, bem como junto das instituições oficiais.  

sábado, 30 de abril de 2011

Porque é Que As Crianças Desenham?


Existem vários motivos, entre os quais, por constituem uma forma de representação da realidade exterior, é também um modo de projecção das suas angústias e afectos, por sentirem prazer nisso, para favorecer o desenvolvimento das suas capacidades e ainda por ser uma forma de expressão e comunicação.

terça-feira, 29 de março de 2011

Ser Criança

“O amor é como a criança: deseja tudo o que vê.”
William Shakespeare

segunda-feira, 21 de março de 2011

A Aprendizagem

“As crianças activas precisam de espaços organizados e equipados com materiais que promovam a aprendizagem activa” (HOHMAN, 1995).